Carbúnculo Sintomático – Blackleg

Etiologia

O Carbúnculo Sintomático é provocado por uma bactéria formadora de esporos que, nos ovinos, normalmente infecta através de um ferimento; nos bovinos é frequente ocorrer disseminação para o sangue após a ingestão dos esporos, mesmo na ausência de uma ferida. A infecção afecta primariamente os músculos, e de seguida ocorre a disseminação, por todo o organismo, das toxinas produzidas . Ovinos e bovinos aparentemente saudáveis podem ser infectados sem exibir quaisquer sinais clínicos e, por vezes, morrer subitamente.

Sintomas

Os esporos podem estar presentes no intestino dos bovinos, porém nem sempre resultam em doença. Em ovinos, o carbúnculo sintomático surge normalmente depois de um ferimento. Uma vez infectado com carbúnculo sintomático, o animal pode morrer em menos de 48 horas. Após os sintomas iniciais, a bactéria provoca uma reacção tóxica gradual no organismo.

Sintomas podem incluir:  

1.      Dificuldade em andar

2.      Diminuição do apetite

3.      Temperatura elevada

4.      Edema numa zona muscular como o pescoço, o dorso ou a zona das espáduas (estes edemas são crepitantes se forem pressionados)

5.     Presença de gás nos edemas mais pronunciados 

Diagnóstico

Os músculos afectados ficam com uma coloração vermelha escura a preta, secos e esponjosos; têm um odor adocicado e estão infiltrados com pequenas bolhas. As lesões podem ocorrer em qualquer músculo, até mesmo na língua ou diafragma. Em ovinos as lesões podem ser pequenas e profundas, passando facilmente despercebidas. 

Tratamento

Na fase inicial do carbúnculo sintomático, o tratamento com penicilinas ou outros anti-infecciosos em doses elevadas pode ser eficaz. Em bovinos que recuperam da doença, pode persistir fraqueza visível nos músculos que estiveram afectados.

Prevenção

A prevenção do carbúnculo sintomático passa pela vacinação. As vacinas que contêm o C. chauvoei e o C. septicum são  seguras e eficazes em bovinos e ovinos. Num surto, os  animais susceptíveis devem ser vacinados e tratados com penicilina a fim de prevenir a ocorrência de novos casos, que se podem desenvolver enquanto se desenvolve uma resposta à vacina. As vacinas polivalentes de clostridioses são as mais utilizadas, no sentido de conferir protecção alargada contra este grupo de doenças aos animais susceptíveis.